Coronavírus em pacientes com talassemia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou como pandemia mundial a situação atual do coronavírus. Em todo o mundo, milhares de pessoas foram diagnosticadas com o vírus e, no Brasil, os casos também passaram a acontecer. Mas é importante ter calma!

O coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. São vários os agentes, mas o novo (SARS-CoV-2) foi descoberto no final de dezembro de 2019, na China. Assim, a nova infecção passou a ser chamada de COVID-19.

Nos pacientes hematológicos, com distúrbios da hemoglobina, como é o caso da talassemia, essa infecção apresenta desafios e perigos que devem ser evitados!

Como o coronavírus é transmitido

Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão dos coronavírus costuma acontecer pelo contato físico ou pelo ar, por meio de:

  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse
  • Catarro
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que podem chegar até 12 dias.

Sinais e sintomas do COVID-19

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar

No grupo de risco estão idosos, cardíacos e pacientes com problemas respiratórios e imunossuprimidos.

Pacientes de talassemia, atenção!

A infecção COVID-19, causada pelo novo coronavírus, também apresenta cuidados especiais para portadores da talassemia maior e intermediária. Isso porque o vírus afeta principalmente o sistema respiratório e é possível que o paciente com defeitos na hemoglobina esteja mais pré-disposto a complicações.

Além disso, pacientes que tiverem problemas no coração, pulmões, de sobrecarga de ferro grave e/ou que fizeram a retirada do baço, também precisam de atenção redobrada. Nessas condições, eles podem estar mais vulneráveis ao vírus.

Já os portadores de talassemia minor não fazem parte do grupo de risco, mas devem tomar as precauções para não contrair o coronavírus, assim como qualquer outra pessoa: lavar as mãos com água e sabonete, evitar locais com grandes aglomerações, evitar contato físico com pessoas gripadas ou com sintomas da COVID-19, não tocar o rosto antes de lavar as mãos, se possível, ficar em casa!

Como fazer as transfusões de sangue em meio à pandemia?

É fundamental que as transfusões de sangue continuem acontecendo, para que sua saúde não seja prejudicada. Mas as autoridades de saúde também pedem para que idas desnecessárias aos centros de tratamento sejam evitadas. Neste caso, fale diretamente com seu médico para tentar agendar um melhor horário, evitando aglomerações.

Seja no hemocentro, ou em qualquer local:

  • Evite contato físico direto com o médico, equipe de saúde, familiares e amigos
  • Fique no hospital apenas o tempo que for necessário!
  • Mantenha-se distante de pessoas que apresentam sintomas de gripe (não tenha contato com eles)
  • Caso apresente os sintomas do coronavírus, procure por seu médico imediatamente!

Doação de sangue!

Sabemos que as pessoas estão querendo se proteger do coronavírus, mas doar sangue continua sendo fundamental. Os bancos de sangue são locais protegidos e higenizados com frequência, além de ser possível marcar horário para a doação, para evitar aglomerações.

No momento, as indicações para doar sangue continuam as mesmas:

Estar em boas condições de saúde e alimentado

  • Ter entre 16 e 69 anos
  • Pesar mais de 50kg
  • Levar documento de identidade original, com foto recente
  • Se estiver gripado, resfriado e com suspeita da COVID-19, não doar temporariamente